Representações cognitivas acerca das altas capacidades intelectuais: um estudo exploratório com universitários

  • Lucia C. Miranda
  • Maria de Fátima Morais
Palavras-chave: Representações cognitivas; Altas capacidades intelectuais; Alunos universitários.

Resumo

Este estudo investigou as representações cognitivas, em um grupo de 411 estudantes do ensino superior de três cursos e duas universidades públicas, a partir das suas respostas à Escala de Avaliação sobre Representações acerca das Altas Capacidades Intelectuais. Esses participantes eram do 1º (34%), 2º (35%), 3º (31%) anos; 47% eram do género masculino e 53% do feminino. As idades situaram-se entre os 17 e os 48 anos. Verificaram-se diferenças estatisticamente significativas nas representações cognitivas relacionadas com o desempenho, com as respostas do sistema educativo e com as influências de variáveis contextuais e familiares. Os alunos do 1º ano, por comparação com os seus colegas do 2º ano, tendem a apresentar mais mitos relacionados com as respostas do sistema educativo e com a influência das variáveis contextuais e familiares às altas capacidades intelectuais. A discussão dos resultados sugere implicações para a formação e práticas pedagógicas futuras como profissionais da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucia C. Miranda

Pós-doutorada e Doutorada em Psicologia da Educação pela Universidade do Minho, Portugal; Centro de Investigación en Psicopedagogía e Investigaciones Psicopedagógicas- CIPsp.

Maria de Fátima Morais

Doutorada em Psicologia da Educação pela Universidade do Minho; Centro de Investigação em Educação-CIEd, Universidade do Minho, Portugal.

Publicado
04-10-2021